Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
1

Resenha #220: Uni-Duni-Tê - M. J. Arlidge


Título: Uni-Duni-Tê
Autor: M. J. Arlidge
Editora: Record
Tradução: Maurette Brandt
Edição: 1
ISBN: 9788501105264
Gênero: Thriller
Ano: 2016
Páginas: 322
Adquira seu exemplar Aqui
Adicione esse livro ao Skoob


Avaliação: 




RESENHA


Sem palavras. É exatamente assim que estou. O novo lançamento da Editora parceira Record chegou em minhas mãos na quarta, comecei a ler na sexta de noite e acabei ele neste exato momento, sábado. Sim,  um livro de 321 páginas que não me prendeu completamente em uma trama muito bem construída e de revirar o estômago. 
O livro basicamente traz a tona um dos maiores desafios profissionais da detetive Hellen Grace, entender os padrões e prender um serial killer que vem praticando crimes horríveis. Ele basicamente usa uma van para sequestrar duas pessoas, tranca elas em algum lugar abandonado e as deixa lá até que decidam qual das duas deve morrer para libertar a outra. Um jogo macabro que mata uma pessoa e deixa a vida do sobrevivente completamente perturbada. Os casos começam a aumentar e a polícia faz poucos avanços, é assim que vamos descobrindo mais sobre a vida de cada personagem, suas lutas particulares, suas fraquezas e qual o objetivo desse assassino que vem assombrando a cidade. 

Talvez muitas pessoas tenham comparado o livro com a série de filmes Jogos Mortais, mas, talvez por nunca ter visto os filmes, achei o livro de uma originalidade surpreendente. A trama muito bem construída, os personagens complexos, absolutamente tudo foi se juntando para dar forma a um dos melhores livros que li esse ano. 

Os personagens são muito bem desenvolvidos, até aqueles que são bem figurantes acabam tendo um pouco de sua história revelada, quanto aos demais, suas vidas se mostram bastante complexas, fazendo com que um mundo de histórias secundárias girem em torno da história principal, deixando o livro ainda melhor. 

A escrita do autor é maravilhosa, rica em detalhes - as vezes um tanto quanto intragáveis -,  cheia de vida e energia, uma escrita que nos faz querer descobrir ainda mais o que está por vir e querer desvendar logo todos os mistérios do livro. 
Talvez o único problema foi o fato de uma personagem ter surgido no meio do livro e seu destino não ter ficado muito bem definido, no fim das contas eu acabei sem entender muito bem o porquê dela ter aparecido e o que acabou acontecendo, por mais que a função fosse só atrapalhar no andamento das investigações, acho que a construção dela deveria ter sido diferente. No entanto, esse pequeno detalhe foi realmente muito pequeno comparado a todo resto. O desfecho é muito inesperado e foi impossível não definir esse livro como favorito. 

A todos aqueles fãs do melhor do romance policial, formados em investigação por Dan Brown, Stieg Larsson, Nele Nehaus, Arthur Conan Doyle, Gillian Flynn e outros, simplesmente digo: LEIAM UNI-DUNI-TÊ. 

Resenhado por:
Maria Clara D.

Um comentário:

  1. Nossa, fiquei com bastante vontade de lê-lo!!! Como fã de Agatha Christie amo um suspense policial! E esse me parecer ser muito bom, apesar de me lembrar uma série da Globo rsrsr Espero ter a oportunidade de o ler em breve!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!