Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
12

Resenha #142: Chatô, O Rei do Brasil - Fernando Morais

Título: Chatô O Rei do BrasilAutor
Autor: Fernando Morais
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Biografia
Ano: 1997
Páginas: 732
ISBN: 8571643962
Adicione

Avaliação: 




RESENHA



Chatô, O Rei do Brasil, de Fernando Morais, conta a história de Assis Chateaubriand, um dos pioneiros da comunicação no Brasil.


Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, paraibano nascido na cidade de Umbuzeiro a 4 de outubro de 1892, além de “feio, raquítico, amarelo e opilado”. gago e franzino, foi alfabetizado tardiamente, aos nove anos de idade; peculiaridades que não o impediram de se forma na faculdade de Direito em Recife e aprender idiomas como Inglês e Alemão. É dessa forma que se inicia a vida do pequeno grande homem Assis Chateaubriand, o jornalista responsável por criar no Brasil um império de comunicação na primeira metade do século XX que chegou a marca de quase cem jornais e que perdura até hoje.

Dentre seus grandes feitos estão a criação de uma rede de jornais e rádios pelo país, além de claro o que seria, digamos, o carro chefe dos Associados, a revista "O Cruzeiro", a primeira publicação totalmente colorida, também criou a primeira emissora de TV do país e a quarta do mundo, a TV Tupi de São Paulo, além de fundar o Museu de Artes de São Paulo (MASP).

Sobre a implantação da TV Tupi.
No meio de sua trajetória polemica, Chatô foi senador da Paraíba e embaixador do Brasil na Inglaterra, cargos que assumiu com muito esforço e o uso da palavra para conseguir tais feitos. Aliás, as palavras juntamente com seu conglomerado de meios de comunicação eram suas armas e escudos para atacar ou defender-se. Chatô, sujeito asqueroso em certos aspectos, era do tipo que não levava desaforo para casa (que gosta de resolver as coisas na base da peixeira) e até chegava a escrever artigos com pseudônimos para responder quem se metesse em seu caminho, rebatendo ataques ou difamando, não medindo esforços para fazer chantagem quando necessitava conseguir algo. Seu império lhe dava um poder tão grande que Chatô não se importava se estava batendo de frente com empregados, o presidente do país ou com os maiores nomes do seu tempo.

Histórias incríveis permeiam as mais de 700 páginas da biografia de um homem ousado, onde a sua vida se confunde com a própria história política do Brasil. Revemos fatos históricos do nosso pais como revolução Paulista de 1924órgãos de imprensa apoiando a Aliança Liberal e a Revolução de 1930 que leva Getúlio Vargas ao poder; O golpe de novembro de 1937 e a instalação do Estado Novo, governado por Vargas de forma autoritária; a criação de órgãos destinados à propaganda e ao controle de informação, o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) que dificultaram as publicações dos meios de comunicação; Juscelino Kubitschek sendo eleito presidente através do voto direto; o golpe militar e o início da Ditadura no Brasil.

A biografia é extremamente bem escrita, a linguagem não é difícil e o autor Fernando Morais foi a fundo em pesquisas para dar uma boa base ao que esta escrito. O biografado é Chatô, mas sua vida está intrínseca a politica e economia nacional, dessa forma, Fernando Morais, com sua pesquisa, consegue trazer e contar fatos históricos inserindo o leitor no contexto da vida do jornalista. É imprescindível a leitura, principalmente para quem deseja ir para esse ramo midiático e ter uma ideia de como fazer jornalismo e principalmente de como NÃO fazer jornalismo.

O livro foi adaptado para o cinema (com produção e encrencas jurídicas que se arrastaram durante anos), resta esperar pra ver o que o "prodigioso" cinema nacional foi capaz de fazer com este livro e biografado fantásticos!

Até logo,
Pedro Silva

12 comentários:

  1. Que livro lindo, esperando ansiosamente o filme

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser ótimo e interessante, adoro biografias então fiquei bem curioso p/ ler. E que o filme seja tão bom quanto a obra, que fiquei interessado.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da história, mas não leio muito biografia, acho um pouco entediante!
    Bjão
    Se tiver filme, eu assisto

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante. Faço Comunicação, e esse livro com certeza é interessantíssimo pra conhecer mais da história da mídia no Brasil. E a edição está linda.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não gosto muito de livros neste estilo e a capa não me agradou muito também. Mas caso um dia tenha a oportunidade, tentarei ler. Beijos.

    potato-purple.blogspot.com
    youtube.com/potatopurpleblog

    ResponderExcluir
  6. Com um tom de gangster brasileiro, encontra-se neste livro a história cômica ou trágica, mas que não deixa de ser muito importante e impactante na história do Brasil. Leremos sempre nomes de "praças", "ruas" e muitos "monumentos" das nossas cidades, pessoas importantes que passaram pela nossa história são altamentes influentes ou influenciadas pelo Chatô.

    ResponderExcluir
  7. Desconhecia este livro antes de ler a resenha, mas parece ser incrível. Pretendo ler, me interesso pela área de comunicação, e a biografia, se não me engano, será adaptada para o cinema, e quero ler antes de assistir, só espero que o cinema brasileiro n estrague esta obra.

    ResponderExcluir
  8. Bem eu nao vou ler a resenha, porque eu terei de lelo esse semestre no curso, mas ja vi que é um otimo livro, falando sobre o Pioneiro da comunicação nesse País.

    ResponderExcluir
  9. Sei que é uma leitura obrigatória pra quem quer atuar na área de Comunicação Social, mas tenho um pé atrás com biografias. Sempre que tentei ler uma acabei abandonando.

    ResponderExcluir
  10. Oi Pedro, tudo bem?
    O livro parece ser bem interessante, se a pesquisa do autor tiver sido tão bem feita como você disse então com certeza o livro deve ser ótimo de ser lido. Eu não leria agora, mas quem sabe quando estiver cursando P&P eu chegue a dar uma olhada nele.

    ResponderExcluir
  11. Bom, já conhecia o escritor e a capa do livro, mas nunca tive a curiosidade de ler a sinopse, resenha ou resumo do livro. Parece ser um livro bom que gostaria de ler no futuro.

    ResponderExcluir
  12. Gosto de livros biográfico sobre personagens políticos, e já li os do Fernando Morais, sempre muito bons, mas confesso que a vida do Chatô não me chama atenção em nenhum aspecto.
    Provavelmente não lerei.
    Mas acredito que seja um prato cheio pra quem gosta.
    bjss

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!