Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
3

Resenha #112: Despedaçada - Teri Terry


Lido em: Outubro de 2015
Autor: Teri Terry
Título Original: Shattered (2013)
Editora: Farol Literário
ISBN: 9788582770559
Ano: 2014
Páginas: 400
Tradutor: Flávia Cortês



Adicione o livro ao Skoob



Avaliação:






Resenha


AVISO: Pode conter spoiler dos livros anteriores

Despedaçada é o terceiro volume da trilogia distópica Slated composta por Reiniciados e Fragmentada. A trilogia começou a ser publicada aqui no Brasil pela editora Farol Literário em meados de 2013. Na Bienal do ano passado, os brasileiro receberam o último volume podendo conferir o fechamento da história da Kyle. E eu saliento que a autora conseguiu nos passar algo bem plausível.


Nesse futurista mundo, os adolescente infratores têm o cérebro reiniciado através de um procedimento cirúrgico, onde logo em seguida são adotados e voltam a sociedade. Kyle foi uma das reiniciadas, mas algo deu errado nesse processo e o que aparentava ser um erro médico acabou tomando proporções inesperada, até ela descobrir os motivos de ter sido reiniciada.

Depois de dada como morta no livro anterior, em Despedaçada a garota vai buscar o seu passado e suas origens numa cidadezinha. Mas antes de ir ao encontro de sua mãe, com a ajuda do TAI (Tecnologia de Aperfeiçoamento) Kyle muda a cor do cabelo e para despistar ainda mais o TAG e os Lordeiros, ela passa a se chamar Riley Kain.


Cidade nova, nome novo, vida nova. Morando agora em um abrigo juvenil e sob a tutela da mãe verdadeira, Riley não deixa o lado curioso e mesmo crendo que sua vida vai melhorar, ela acaba investigando e encontrando as chaves para desvendar todos os mistérios que permeiam a trilogia.
Depois de tudo o que o TAG fizeram comigo. Roubando minha infância, minha vida, matando meu pai, me programando para ser uma assassina. Sinto uma pontada de fúria.
A principio, a autora apresenta personagens novos a trama e inclusive criar novas perguntas a partir deles, levando a crer que não dará para fechar tudo no último livro. A narrativa em primeira pessoa continua de fácil leitura e consequentemente rápida.

Tirei uma estrela pois o primeiro livro me fez crer que a autora iria trazer algo bem maior do que me deu. A narrativa em primeira pessoa isolou muito o mundo criado - tudo bem que é sob o ponto de vista de uma garota e ela é uma peça importante -, mas tudo girava em torno da Riley mesmo quando ela estava "lutando" por uma liberdade coletiva. Parecia que era mais para seu bel prazer. A autora deu uma atenção redobada à esta personagem quando poderia ter posto um ponto de vista diferente, até mesmo dentro da oposição.
Ninguém nunca diz nada. Não é esse o maior problema de todos? Se todos nos uníssemos e disséssemos Já Chega!, isso não acabaria?

Os momentos finais foram até convincentes e adequados, poderia ter sido algo maior como eu disse, mas a autora fez algo bem isolado para libertar uma nação, quando A NAÇÃO toda poderia ter lutado contra o sistema.

A trilogia não foca muito no romance, isso é não é muito explorado, o pouco que temos é bem suave, mas acabou decepcionando porque Teri Terry traz isso desde o primeiro livro e no fim acontece algo que nem vou explorar aqui para não estragar as surpresas.

Mais uma vez volto a dizer que é uma boa trilogia e que recomendo. Reiniciados ainda consegue nos fazer pensar sobre essa questão (que não vi ainda trabalhada em outros livros) de mexer nos cérebros alheios e a que ponto catastrófico poderíamos chegar caso essa ferramenta governamental caísse nas mãos de pessoas erradas. Poder demais é perigoso!

Confira as resenhas dos livros anteriores:


 


Até logo!


3 comentários:

  1. Estou aqui mais uma vez lendo resenhas da trilogia, pela terceira vez, do último livro. REPITO: Quero muito conhecer a trilogia, é um dos maiores destaques da Farol Literário. Creio que ainda este ano solicito o livro. Hehe!

    Abraço,www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi!!
    Eu gostei muito dessa distopia, me trouxe algo um pouco diferente das outras. Quando li ainda não existia a tradução do terceiro livro então o encomendei em inglês.
    Para mim, a conclusão foi satisfatória e gostei da narrativa em primeira pessoa. É uma pena não ter correspondido a todas suas expectativas, mas fico feliz que tenha gostado. :D
    Estou ansiosa pelo lançamento de Mind Games.
    Beijos
    Quer Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    ainda não li essa trilogia, no entanto, me deixou em dúvida depois da sua resenha.
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!