Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #91: Ela Não é Invisível - Marcus Sedgwick

Lido em: Julho de 2015
Título: Ela Não é Invisível
Autor: Marcus Sedgwick
Editora: Galera
Edição: 1
Ano: 2015
Páginas: 254

Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação:




RESENHA


Ela Não é Invísivel é o mais novo lançamento do autor, ilustrador e músico britânico Marcus Sedgwick, publicado pela Galera Record. O romance narra uma aventura de uma jovem cega de 16 anos, Laureth Peak. A menina é filha de um famoso escritor inglês, Jack Peak, que vive viajando para fazer pesquisa sobre os seus novos livros.

Durante uma das viagens do autor, que supostamente estaria na Suíça, Laureth fica sem notícias de seu pai e a preocupação dela só aumenta depois de receber um estranho e-mail de um americano, Sr. Michael Walker, que diz ter encontrado o “Livro Breu”, um pequeno caderno onde o pai de Laureth anota suas principais ideias e seus projetos.


Instigada pela curiosidade de saber onde seu pai realmente está e como o seu caderno foi parar em continente Norte Americano, Laureth rouba um dos cartões de crédito de sua mãe e, aproveitando-se de uma pequena viagem que ela teve de fazer, embarca com o seu irmão mais novo, Benjamin, e Stan – o corvo de pelúcia e amigo imaginário de Ben – para Nova York, sem nada mais concreto do que um encontro marcado em uma biblioteca com um completo estranho.

Com nada mais que um cartão de crédito roubado e alguns dólares, Laureth e seu irmão seguem pistas cada vez mais estranhas - que envolvem supostas sociedades secretas, Edgar Allan Poe e muitas coincidências –  para tentar descobrir o paradeiro de Jack, tudo isso enquanto correm contra o tempo para tentarem voltar para casa antes que alguém se dê conta do sumiço de ambos.


“Mas acontece que nunca se sabe o que é ou não verdade, o que pode ou não ser impossível, até que se faça uma tentativa.”



A leitura do livro é muito rápida e simples, consegui terminar de lê-lo em menos de um dia. A linguagem é muito tranquila e a história foi muito bem estruturada, sem deixar nenhuma “ponta solta”. 

O que mais me chamou atenção no livro foi a perspectiva de ter uma história narrada do ponto de vista de alguém que é deficiente visual, ou seja, o leitor se sente um pouco na pele do personagem, o que nos leva a entender sobre as limitações que essas pessoas tem e como elas reagem às mais diversas situações, principalmente ao preconceito.


Apesar de ter um enredo fantástico e uma escrita realmente divertida, o autor consegue surpreender ainda mais com uma pequena “surpresa” que ele deixa escondida durante toda a história e só nos revela no último parágrafo do livro, eu fiquei encantada com esse pequeno detalhe. O autor apostou em algo muito interessante e que eu ainda não tinha visto em nenhum outro livro, isso conquistou demais o meu carinho, fazendo a história entrar para o rol dos livros favoritos.

Por fim, devo mencionar que a diagramação do livro ficou muito linda, antes de qualquer outra coisa ele me ganhou pela capa, que ficou muito encantadora. A letra está em uma fonte ideal e muito agradável de ler, além das folhas serem amarelinhas e bem grossinhas. Adorei.

Até mais!
Maria Clara Donato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!