Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
19

Resenha #44: Half Bad - Sally Green

Lido em: Novembro de 2014
Título: Half Bad
Autora: Sally Green
Editora: Intrínseca
Gênero: Fantasia/Distopia
Ano: 2014
Páginas: 304

Adicione esse livro ao Skoob

Avaliação:   




Resenha


Nathan, um jovem Brux, foi rejeitado durante toda a sua vida. Sendo filho de uma bruxa da Luz e o mais poderoso, cruel e destemido bruxo das Sombras, o adolescente sempre sofreu preconceito e 'bullying' por ser filho de Marcus. Como a mãe se suicidou e o pai não quis saber dele, Nathan cresceu com a avó e os meio-irmãos, sendo visto como uma aberração por toda a sociedade de Bruxos. Isso se deu porque todo os bruxos da Sombra são considerados altamente perigosos e são caçados pelos bruxos da Luz.

Sendo o único com metade do seu sangue das Sombras e a outra metade da Luz (meio-código), o protagonista se vê ameaçado: o Conselho dos Bruxos da Luz o vê como um perigo iminente, que precisa ser domado e exterminado. Prestes a completar dezessete anos (período em que todos os brux passam por uma cerimônia para revelar seu dom e denominação como bruxo da Luz ou das Sombras), Nathan terá que correr contra o tempo e sair em uma busca frenética ao encontro de um realizador de sua cerimônia, alguém que lhe dê três presentes para, assim, libertar o seu poder.

E o tempo dele está acabando.




Com sua obra de estreia, Sally Green nos traz um enredo muito mais distópico que fantástico. O livro, que já é um sucesso mundial, possuía grande potencial para ser um dos best seller's mais comentados do ano, mas aos poucos foi se mostrando um livro que poderia ter sido melhor trabalhado em inúmeros quesitos.

Comecei a leitura com bastante expectativa, achando que tinha em mãos um bom livro de fantasia, imaginando uma história tão incrível quanto a de Harry Potter. Quebrei a cara. As cem primeiras páginas do livro são altamente convidativas e deixam o leitor em êxtase, querendo saber o que acontece em seguida. Porém, a medida que avançamos na leitura, percebemos que há um declínio notável na obra e sua qualidade cai consideravelmente. O que no início era instigante, torna-se clichê e altamente repetitivo durante o enredo.

Em muitos livros 'fantásticos' voltado ao público young-adult, os autores acabam focando muito na vida do personagem e esquecem de construir o mundo místico e cheio de bruxarias ao seu redor. Esse foi um dos MAIORES pecados da autora. A luta pessoal do Nathan e sua corrida contra o tempo e adversidades que aconteceram durante o enredo foram tão focadas que todo o resto ficou como um borrão.



A luta do bem contra o mal é marcada de forma explícita na obra. Entretanto, há uma crítica severa a isso. Sally expõe que nem sempre o bem é bom e o mal é ruim. Em inúmeras passagens conseguimos detectar traços de ódio e violência sem motivo provinda dos Bruxos da Luz. Essa violência gratuita, jogada em toda a obra, deixa o enredo um tanto quanto pesado demais. A tentativa que a autora realiza para nos fazer ficar com 'pena' de Nathan falha. O inverso (Bruxo da Sombra bom) também é notável, com o personagem Gabriel.

A escrita da autora é leve e indutiva. Os personagens, de maneira geral, são razoavelmente construídos. Há um número muito maior de personagens secundários que o necessário, mas isso não influencia diretamente na qualidade intelectual da obra.

A edição da Editora Intrínseca está fantástica. A arte da capa é bela e o material usado, de primeira qualidade. Não percebi nenhum erro ortográfico e/ou gramatical durante e leitura, o que nos mostra que a revisão também está excelente.

Blog De Cara Nas Letras


Confira o book-trailer:




19 comentários:

  1. Primeira resenha que vejo desse livro que eu concordo eternamente. Dificil esses cliches viu?

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A história deve ser bastante interessante, apesar da crítica sobre o foco na personagem principal. Esse é um dos erros que os autores cometem sabe... A arte do livro é incrível, a intrínseca sempre caprichando. Uma ótima resenha! Abraços,
    http://cafeliterari-o.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi! achei super legal seu post, resenha muito bem escrita e detalhada me senti lendo a historia.
    que por sinal deve ser bem interessante.apesar de não gostar muito desse genero literario fiquei curiosa para ler esse livro, a capa também é muito bem elaborada
    parabens pela resenha

    Abraço
    www.marichic.com

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tudo bom?
    Fiquei em dúvida quando o livro apareceu na lista da editora, não sabia se solicitava ou não e no fim deixei passar. Sua resenha é a primeira que vou ler, e mais uma opinião, além do cara da livraria. No fim, uma hora seria complicado para ele ter esse sangue meio a meio, no fim acaba sendo preciso escolher um lado, mas ele não me parece ter maldade, pelo contrário, parece assustado e MUITO perdido.
    Fiquei triste pelo livro ter essa decaída, da sempre vontade de sentar com o autor e perguntar:" agora me explica, o que aconteceu?" Como você disse, eu estava esperando algo grande, uma luta contra o tempo, uma viagem para decidir-se sobre qual lado o representa melhor, beirando Harry Potter, o mundo literário está repleto de clichês, não é? Mesmo assim, acho que vou dar uma chance e em uma oportunidade e um momento bem calmo, vou ler, pois o tema ainda assim me agradou bastante.
    Gostei muito mesmo da sua sinceridade sobre o livro, e já sei o que esperar dessa leitura.

    Beijinhos,
    www.percepcoes.blog.br

    ResponderExcluir
  5. Ola lendo a premissa do livro me encantei, adoro temas com Bruxos, lendo sua sinopse e sabendo que a leitura decai, e o autor perde o ritmo já me desanimei , lendo que os bruxos de luz tem rompantes de ódio sem motivo não gostei. Vou deixar anotado no fim da lista para leitura. Uma pena um tema perfeito não ser bem explorado. abraços

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  6. Oooi,

    Eu conhecia o livro ainda e foi a primeira resenha. Que pena que a autora acabou exagerando em alguns elementos né?
    O enredo parece ser muito legal, mas não tão bem trabalhado. Não sei se leria agora.

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  7. Acho uma ideia incrível, pena que foi mal trabalhada... isso da gente começar um livro cheio de empolgação e achar que ele vai corresponder, devido ao início da narrativa, e depois se decepcionar é horrível... Não gostei dela ter focado na vida do personagem, e ao mesmo tempo, ter feito personagens apenas razoavelmente construídos... aí não, né? Deixou o ambiente de lado e não fez um ótimo trabalho com os personagens... acho que não leria.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi, Sérgio! Nossa, imagina que esse livro fosse bem melhor! Pelo visto estava enganado! :( Gosto muito quando a mitologia dos livros fantásticos é bem trabalhada e fiquei triste ao saber que Half Bad é mais um livro que peca na construção de sua própria mitologia! :/ Ótima resenha, super esclarecedora!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, gostei bastante das suas colocações sobre o livro. O fato de a autora deixar um pouco de lado a construção do cenário, do plano de fundo da história me fez perder o interesse pela leitura. Tenho que concordar que a capa está incrível!
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  10. A edição da intrínseca está mesmo impecável. Eu gostei do livro, mas, realmente, alguns momentos foram mal explorados. Gostei da dualidade do Nathan, acho que isso foi o que mais me chamou atenção no livro.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sérgio,
    Muito bacana o que foi dito sobre o Nathan ser um bruxo com metades de características opostas. Isso faz com que ele seja deslocado e não pertença inteiramente a nenhum dos mundos de seus progenitores.
    Achei legal o começo, mas fiquei arredio quando você se queixou do andamento da estória e como uma trama que tinha tudo para dar certo, acabou se perdendo. Uma pena quando isso acontece. Achei a capa bem bonita, e é ótimo saber que a edição da Intrinseca está impecável. Quase todos os livros que leio dela, acabo encontrando errinhos gramaticais e de revisão estúpidos!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Estava com muitas expectativas com esse livro, mas acabei de me decepcionar. Ainda pretendo ler, mas não com toda essa ansiedade. Saber que a autora não soube explorar um enredo tão bom já desanima, mas preciso ler para tirar minhas próprias conclusões. Enfim, a Intrínseca está de parabéns pela edição, é bem linda.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  13. Olá

    Comentei no post da caixinha do correio que havia achado a capa bonita, mas só isso mesmo. Apesar de você ressaltar sobre a escrita da autora ser leve e tudo mais, acabo por não me interessar porque não curti muito essa premissa e sua nota também não me deixou muito animado, então dispenso.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Eu não conhecia o livro, mas gosto muito de fantasia.
    O que me desanimou um pouco foi saber que o assunto não foi bem desenvolvido e ainda por cima é repetitivo.
    Apesar da nota baixa e de todas as ressalvas feitas, eu não posso esquecer que você foi cheio de expectativas e elas costumam atrapalhar e muito.
    Se a oportunidade surgir, vou conferir essa narrativa.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  15. Diz quando o trabalho da intrínseca não é lindo! Eu vi Half Bad na livraria e me apaixonei pelos detalhes da capa *-*
    A história tambem me interessou muito, mas por ser uma série, decidi esperar sair o segundo.. Pena que a autora nao explorou tanto assim o mundo fantastico. A sociedade bruxa é sempre algo que me deixa bem curiosa de conhecer. Enfim. É bom saber que o livro tem dessas coisas, assim quando pegar nao irei com a expectativa tão alta.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  16. Oii, tudo bem? É a segunda resenha que leio do livro, e na outra a pessoa tinha gostado bastante. Enfim, é bom saber outras opiniões. Ainda sim, eu tenho vontade de conhecer, gosto dessa temática bem x mal, e que ninguém é sempre bom ou mau... mas realmente, essas atitudes de violência gratuita as vezes me incomoda e fica meio sem sentido, sei de vários livros assim. Pena que a autora não soube explorar bem o universo e só focou no drama do Nathan... enfim, vamos esperar que no segundo ela melhore nisso.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  17. Olá
    De cara, fiquei interessada pelo livro, a capa é fabulosa,mas a medida que fui lendo sua resenha, esse interesse foi indo em bora. Não gosto de livros que não mandei um nível que faz o leitor ficar preso na obra.
    Quem sabe mais para frente eu o leia.

    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Bom Sergio, quando comecei a resenha e você mencionou bruxo, eu já me interessei por que gosto deste mundo fantástico. Mas fui lendo a resenha e acabei perdendo o interesse.
    Primeiro, uma coisa que notei é que não foi bem abordado o assunto sobre a mãe uma bruxa da luz se envolver com um bruxo do mal.
    Outro: A mãe morre e o pai não o quer. Mas por que não o quer, o que acontece ai. Não senti firmeza e acho que tenho quase certeza que a autora não se aprofundou nisso e não houve muitas explicações.
    E ultimo: que é sobre o povo da luz ter medo e querer eliminar o garoto. Mas poxa, ele tem os dois lados. E a autora se foca em mostrar a correria dele para conseguir alguém que o dê 3 presentes( outro coisa que fiquei boiando) para saber seus poderes.
    Sei lá, achei esquisito a historia, e você ainda menciona que a autora peca na hora de nos mostrar este mundo de fantasia. Acho que me perderia e morreria de raiva se a leitura não me surpreendesse e no final acabasse com o mesmo do mesmo.
    Parabéns pela resenha, obrigada pela sinceridade. Mas desta vez eu deixo passar :/

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir
  19. Oi Sérgio,

    Ao iniciar a leitura da resenha já comecei a ficar alegre, pois teria mais um livro de fantasia para minha lista, isto porque eu simplesmente amo demais este gênero. Porém seguindo a leitura fiquei triste, pois como você bem disse a autora teve tudo para tornar o livro um, best seller, o que não aconteceu em decorrência de algumas questões não trabalhadas e que acaba por desmotivar os leitores que iniciam a leitura com uma expectativa alta que se esvai ao longo da leitura, isto realmente é uma pena.
    Adorei a sua resenha sincera, limpa e objetiva.

    Bjs
    Tânia Bueno
    www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!