Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #320: Sociedade J.M. Barrie - Barbara J. Zitwer

Título: Sociedade J.M. Barrie
Autor: Barbara J. Zitwer
Título original: The J.M. Barrie ladie’s swimming society (2012)
Tradução: Shirley Gomes
Editora: Novo Conceito
Edição: 1
ISBN: 9788581635231
Gênero: Romance
Ano: 2017
Páginas: 288

Adquira seu exemplar aqui!

Avaliação: 



RESENHA

Joey Rubin é uma nova-iorquina, independente, que só pensa no trabalho, e se esforça bastante para manter uma posição respeitável na empresa de arquitetura em que trabalha. Ela está empenhada na apresentação do projeto de restauração de uma antiga casa, a Stanway House o lugar onde J. M. Barrie teria escrito Peter Pan. Mesmo sabendo que os créditos e supervisão do trabalho ficarão para seu colega Dave Wilson.
Joey então tem sua grande chance quando se torna a responsável pelo projeto da Stanway House, e viaja para a Inglaterra para supervisionar a restauração. Joey reencontra Sarah, sua amiga de infância que se casou e vive atualmente na Inglaterra. As duas percebem como se distanciaram, e suas vidas tomaram rumos diferentes, já que Sarah dedica-se a casa e aos filhos, e Joey a carreira, e a amizade não é mais a mesma.
 “A liberdade pode ser solitária. A gente paga um preço alto para conservar a própria independência.” Pag:135
Ao chegar à Stanway House, Joey percebe que os moradores da região não estão muitos receptivos com as obras no local, como Ian, o zelador da mansão, que a recebe de forma ríspida, o que pode dificultar seu trabalho. Joey passa a  conhecer a redondezas, e tudo muda quando ela conhece um grupo de idosas que tem como desafio nadar nas águas geladas do lago. 
“(...) Mas se você se fechar diante de qualquer gesto bem-intencionado e de qualquer agrado inocente, vai espantar algo verdadeiro..”
É bem bacana a forma como Joey fica amiga das senhoras do lago, e criam uma relação de cumplicidade. Fazendo-a inclusive é rever certos aspectos de sua vida. À medida que convivem, surge um interesse amoroso entre Joey e Ian, mas é um casal mal desenvolvido, e totalmente sem sentido. 

A proposta inicial é bacana, esperava que fosse desenvolvida melhor a relação da casa com o escritor J.M. Barrie, mas isso é citado brevemente e pouco aprofundado. O livro possui descrições demais, e pouco desenvolvimento dos personagens. 

Joey tinha tudo para ser uma personagem forte, independente, mas a autora cai no clichê da mulher independente que sente falta do amor, e enfia um envolvimento amoroso como solução dos seus problemas. No geral o livro não é de todo ruim. Indico que leiam sem grandes expectativas e como algo para se divertir um pouco. 

Até logo, 
Elidiane Galdino



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!