Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Semana Especial Toda Luz Que Não Podemos Ver: Um Romance Inesquecível



Toda Luz Que Não Podemos Ver, do norte-americano Anthony Doerr chegou aqui no Brasil já com um boom, sendo finalista do Prêmio Pulitzer. O livro que já tinha uma premissa incrível, acabou ganhando na categoria de ficção e num piscar de olhos, todos se voltaram para ele.

Não é só porque o livro ganhou o prêmio já mencionado que torna ele inesquecível (claro que ele será lembrado como o que levou a honraria no ano de 2015), mas são outros também os fatores que nos fazem lembrar dele e com isso, elencamos alguns pontos que se destacam no livro. Confira.


1. Personagens humanos


O autor trabalha muito bem com os personagens que até confunde com o real. São explorados não só o lado extraordinário das pessoas, mas sim sua crueldade, seus medos e algo que devia existir em todo ser humano e mutuamente: a empatia. Se colocar no lugar do outro, se sensibilizar e passar a se importar com alguém mais do que nosso próprio umbigo é fundamental e representa o que é ser humano.

2. Segunda Guerra Mundial / Romance Histórico


O livro já começar com folhetos sendo jogados pelos aviões anunciando que as pessoas devem fugir dos bombardeios que estão por vir. Daí já sabemos que o livro será voltado para esse tema e temos uma bela demonstração de que o autor é um conhecedor do assunto, apresentando isso em volta de duas crianças que se desenvolvem vendo o conflito se formar.

3. Importância do rádio nesse período


O rádio era o meio de comunicação mais utilizado na época, por isso ele ganha um destaque que não vemos em outros livros sobre a Segunda Guerra Mundial. Os nazistas criam um projeto de mapear outros rádios que estão a quilogrâmetros do receptor para conseguir capturar muitos rebeldes que são contra os nazistas. É a partir dele que os personagens se unem e conseguem evitar uma tragedia maior do que a que se dá.

4. O Mar de Chamas


No Museu Nacional de História Natural em Paris, há uma pedra preciosa conhecida como O Mar de Chamas. Dizem que essa pedra já causo muitos desastres para quem a possui, causando danos à pessoas a quem o portador ama. É uma lenda que é contada no museu e acaba permeando o livro todo. Gerando até respostas para determinados acontecimentos que não posso revelar sem soltar spoiler. Mas não se sabe da veracidade dessa história. 

5. A cegueira


A catarata tira a visão da Marie-Laure logo na infância e vemos o pai dela dando toda uma educação especial para que a garota se adapte a essa deficiência. No período do conflito fica bem tenso os momentos difíceis em que a personagem passa, somos colocados no lugar dela e sentimos sua tensão.

6. História bem desenvolvida


Por fim, o livro é bem amarrado e narra quase que a vida toda das personagens, inclusive até a velhice. Para exemplificar de forma mais clara: Quem leu Harry Potter completo, ao finalizar o último livro, sentiu que a história poderia ter continuado sob o ponto de vista de um Potter mais maduro, educando os filhos e por que não um livro sobre os filhos do bruxo? É isso o que acontece ao finalizar Toda Luz Que Não Podemos Ver, ficamos com um sentimento de dever cumprido, mas tão presos aos personagens que fica uma saudade dos mesmos, nos fazendo querer mergulhar mais na vida deles.



SORTEIO:

Em parceria com a Editora Intrínseca, sortearemos um exemplar dessa magnífica obra. Se você, leitor, ficou encantado com a premissa desse livro, não perca a oportunidade, participe!

Clique na imagem para participar

E você, pretende ou já leu este livro? Que tal nos contar nos comentários o que achou do post e elencar também seus pontos? Eu iria adorar saber.

Até logo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!