Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #310: Eu estou pensando em acabar com tudo - Iain Reind

Título: Eu estou pensando em acabar com tudo
Autor: Iain Reid
Título original:  I'm Thinking Of Ending Things (2016)
Tradução: Santiago Nazarian
Editora: Fabrica 231
Edição: 1
ISBN: 978-8568432969
Gênero: Romance canadense
Ano: 2017
Páginas: 224

Adquira seu exemplar Aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 



RESENHA


Jake está levando a namorada para conhecer seus pais e a casa onde cresceu. Durante a longa viagem por estradas desertas e escuras, entre conversas sobre assuntos diversos, a garota (narradora do livro) pensa em acabar com tudo. Ela pensa em como conheceu Jake, a relação dos dois vai bem, e eles se dão muito bem juntos. Mas ela está certa que precisa terminar o relacionamento. 
“Eu estou pensando em acabar com tudo. Quando este pensamento chega, ele fica. Gruda. Perdura. Domina. Não há muito o que eu possa fazer. Confie em mim. Não vai embora. Fica lá, quer goste ou não. Está lá quando eu como. Quando eu vou me deitar. Está lá quando eu durmo. Está lá quando acordo. Está lá. Sempre.” Pág. 7
O livro é um thriller psicológico, e sentimos isso desde o inicio da leitura. Pois, apesar de nada estar realmente acontecendo, percebemos uma tensão no ar. Algo está muito errado. Essa sensação vai aumentando à medida que as páginas vão passando, e a narradora narra alguns fatos do passado, como a perseguição de um homem misterioso que deixa sempre a mesma mensagem de voz em seu telefone. 
“Você também sabe que as coisas são reais quando elas podem ser perdidas.” Pag:82
A tensão começa a ficar mais forte quando os dois chegam à fazenda dos pais de Jake. Tudo parece muito estranho. A casa é muito velha, mas extremamente arrumada. Os pais dele se comportam de forma estranha, e Jake parece desconfortável, e está escondendo alguma coisa. Tudo contribui para o clima de suspense, inclusive a forma que Iain escreve nós prendendo cada vez mais na narrativa. Entre os capítulos, há pequenos diálogos de pessoas que não são identificadas, falando sobre um crime, as circunstâncias do ocorrido, o que nós faz ficar apreensivos.
“Quanto mais dizemos a nós mesmos que deveríamos tentar ser sempre felizes, que a felicidade é um fim em si, pior fica.” Pag: 75
À medida que as coisas começam de fato a acontecer, e ficarem estranhas, sentimos todo o desespero da narradora. E aquele alerta na nossa cabeça, de que tem algo realmente muito errado. 
Iain Reid construiu um ótimo suspense, com uma trama psicológica muito bem trabalhada.  A ânsia de descobrir o que vai acontecer vai aumentando a cada página, e de repente... Não era nada do que você esperava. O autor consegue te prender até a última página do livro, e no fim ainda te deixar de boca aberta. Fazia tempos que eu não lia algo de suspense tão bem construído, e que me agradasse tanto. 
“Nunca estamos dentro da cabeça do outro. Nunca sabemos realmente os pensamentos do outro. E são pensamentos que contam. Pensamento é realidade. Ações podem ser forjadas.” Pag:173
Além de uma ótima narrativa, o livro ainda conta com um projeto gráfico incrível, feito pela Fábrica 231. Com direito a capa dura, e um trabalho visual simples mais que chama atenção com as letras douradas. A revisão e diagramação do texto estão incríveis. A primeira página de cada capítulo é preta. O livro possui ainda uma folha de guarda super bonita, remetendo a o clima sombrio da estória. 

Até mais,
Elidiane Galdino


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!