Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

{Semana Especial - Verão} Conto preferido

Olá, leitores. Tudo bem com vocês?


A coletânea de contos "Aconteceu Naquele Verão", organizada pela Stephenie Perkins traz doze ótimas histórias de amor. Mas tenho que eleger apenas uma como a minha preferida entre todas e convencer vocês a irem lê-la. 
Bem, o meu conto preferido foi "Amor é o Último Recurso", escrito pelo Jon Skovron. O narrador dessa obra, acaba nos alertando no inicio que não se trata de uma história de amor, de uma forma bem honesta e que as personagens centrais acham o amor coisa de tolos.

No enredo, temos um núcleo de personagens grande, situados em espaço pequeno: um hotel (spa), onde estão hospedados a Sr. Nalone e seu filho Vito e a dra. Elore e seu filho Franklyn. Além da dona, a srta. Ficollo, e dos funcionários Lena, Brice, Zeke e o recém contratado Arlo. Todos se ligam de alguma forma.

Vito é apaixonado por Brice, mas tem medo de sua mãe não aceitar a sua homossexualidade e decepcioná-la, já que ela vê no filho a oportunidade de um casamento de sucesso com alguma moça rica, como a srta. Ficollo. Já essa última, ama Franklyn e é correspondida por ele. Entrementes, ambos não sabem disso e temem que a paixão não seja correspondida.  Com isso, Lena e Arlo (os que não estão nem aí pro amor) agirão como cupidos, mal sabendo eles que antes mesmo de imaginarem, outros estavam tramando para cima de ambos.
Ora, mas o que tem de mais nessa obra? É que tudo é cheio de clichês, no entanto, é sãoclichês gostosos de ler. Sabemos em suma, o que vai acontecer, mas não como. A forma como Jon Skoron induz o leitor foi de uma ótima sacada, porque ele criou um narrador daqueles daqueles que enganam seu leitor, de tal maneira que quem está lendo fica com um sorriso no final do conto. 

A grande mensagem de "Amor é o Último Recurso" vai para as pessoas que acham que o amor é baboseira, inútil, fútil, quando na realidade, é ele o responsável por ligar tantas culturas diferentes e tornar nosso mundo e nossa existência mais fáceis de suportar. E se está apaixonado é tolice, que sejamos todos, "porque se formos todos tolos, talvez haja alguma sabedoria nisso que chamamos de amor." (pág. 254). E é por isso que gostei tanto desse conto, ele é simples, engraçado, mas com uma mensagem singela.

Confira a resenha do livro Aconteceu Naquele Verão clicando AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!