Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Sábado com Desventuras em Série #9: O Espetáculo Carnívoro - Lemony Snicket

Título: O Espetáculo Carnívoro
Autor: Lemony Snicket
Ilustração: Brett Helquist
Tradução: Ricardo Gouveia
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Edição: 1
ISBN: 9788535905243
Gênero: Ficção / Aventura / Juvenil
Ano: 2004
Páginas: 240
Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 




RESENHA


O nono livro da saga Desventuras em Série se inicia com os irmãos Baudelaire escondidos dentro porta-malas do carro do conde Olaf fugindo do Hospital Heimlich e acabam sendo levados ao Parque Caligari, comandado pela madame Lulu, uma vidente com um sotaque forte igual ao de Gunther, no livro O Elevador Ersatz e foi ela a responsável por ajudar o conde Olaf a encontrar as crianças em todas as vezes.
Como eles estão no Sertão, não para onde as crianças fugirem e com medo de que a madame Lulu denuncie mais uma vez as suas localização, os irmãos Klaus, Violet e Sunny resolvem se fantasiar de criaturas bizarras para trabalhar na Casa dos Monstros, onde eles conhecem as três aberrações que já trabalham no local: Hugo, um corcunda, Colette, contorcionista, e Kevin, ambidestro. Tudo com a finalidade de despistar seus inimigos e arranjar uma forma de fugir do lugar. A principio as coisas vão dando certo, no entanto, mesmo que sem o Olaf saber, acabar transformando a existência das crianças sofridas naquele local. Será que os irmãos vão conseguir arranjar uma forma de contornar a situação? 

Nesse livro, já percebemos as complicações dos irmãos tomando outras formas e o autor nos prepara para o fim da história. Isso porque as pistas que ele está dando estão cada vez mais grandes e formando o grande mosaico através de todas que já obtivemos ao longo da série.

Aqui há uma critica forte as diferenças e ao preconceito que o mundo tem com aqueles que possuem suas peculiaridades. O autor consegue nos mostrar, de forma bem irônica, como uma palavra, olhar e julgamento podem afetar a existência de uma pessoa que nasceu conforme ela é e que por isso não tem culpa de suas diferenças. Além disso, é mais contraditório vermos criaturas "bizarras" julgando outras quando elas mesmas possuem as suas diferenças.
Outra critica bastante forte, e isso não é só nesse livro é a questão do jornalismo sensacionalista e do fervor do publico ao consumir uma notícia sanguinolenta e cheia de mazelas, representado bem pela personagem Geraldine Julienne, do jornal O Pundonor Diário. Esse paralelo com o mundo real é muito presente quando ligamos a televisão nos jornais diários que buscam avidamente pela audiência, sem confirmar as informações e suas fontes, transmitindo uma notícia sem credibilidade alguma.

"O Espetáculo Carnívoro" consegue nos prender do inicio ao fim. E que final! Creio que foi o dos finais mais alucinante de toda a série e está sendo muito difícil escrever essa resenha me contendo para não começar logo o decimo livro. 

Algumas referências:

O desfiladeiro de Plath, localizado nas Montanhas de Mão-Morta pode ser uma referência a escritora americana Sylvia Plath.
O personagem chamado Hugo é corcunda e seu nome pode ser uma alusão ao romancista Victor Hugo e uma de suas obras O Corcunda de Notre-Dame.

Até logo,
Pedro Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!