Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #273: A Feiticeira do Inverno - Paula Brackston

Título: A Feiticeira do Inverno
Autor: Paula Brackston
Título original: The Winter Brackston
Tradução: Dênia Sad
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528620719
Gênero: Ficção 
Edição: 1° (2016)
Ano da obra: 2013
Páginas: 322
Compare e adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.


Avaliação: 




RESENHA


O livro A Feiticeira do Inverno foi lançado no finalzinho de 2016 pela Editora Bertrand Brasil e logo me chamou atenção pela capa e pela premissa do enredo.
Neste novo romance da Paula Brackston, conhecemos Morgana, uma jovem que vive com a mãe em uma pequena Galesa no século XIX. Algum mistério envolve seu passado e tem relação com seu pai, sua mãe é idosa e doente, vivendo dos cuidados da filha. Com o agravamento de sua doença, a mãe de Morgana teme que sua filha fique sozinha no mundo e, por isso, arruma logo um casamento para ela com Cai Jenckins um jovem viúvo que precisa casar para poder dar andamento aos seus negócios.

Apesar de relutar em ir embora e abandonar a mãe, Morgana logo começa a se adaptar à nova vida e a se apaixonar por Cai. Aos poucos seus poderes começam a ser notados pelas redondezas e a despertar inveja, algo ou alguém começa a agir para que a cidade inteira se vire contra Morgana, que deve tentar proteger o marido e sua nova terra.
Uma das coisas que mais me surpreendeu no livro é o fato de que Morgana não fala, mas não por deficiência e por outros motivos que vão sendo revelados no decorrer do livro, por isso, temos um romance com menos falas, mas, sem perder seu encanto, principalmente por encontrarmos uma narrativa mais descritiva que é apaixonante. Apesar da ausência de fala, outra coisa que me deixou encantada foi a relação de Morgana e Cai, o amor que acaba surgindo e se desenvolvendo entre eles é muito lindo e envolvente, já que eles têm suas formas particulares de se comunicar.

Os personagens, no geral, são bastante fortes e bem construídos, cada um com sua própria história de vida, que vai se desenrolando e arrematando as pontas da trama. A escrita da autora é bastante envolvente e super simples, o que não deixa o livro tão cansativo, apesar de conter tanta descrição.
Um dos motivos que fez o livro ser, em alguns momentos, um pouco chato é a ausência de ação. A história é mais calma e suave, podendo desagradar algumas pessoas que procuram por algo mais elétrico.
Um livro bom e que não me decepcionou. A editora acertou na diagramação, deixando passar pouquíssimos erros de digitação, quase imperceptíveis. Além disso, a capa ficou muito linda e bastante atraente.


Resenhado por:
Maria Clara Donato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!