Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Sábado com Desventuras em Série #2: A Sala dos Répteis - Lemony Snicket

TítuloA Sala dos Répteis
Autor: Lemony Snicket
Ilustração: Brett Helquist
Tradução: Carlos Sussekind
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Edição: 1
ISBN9788535901436
Gênero: Ficção / Aventura / Juvenil
Ano: 2001
Páginas: 184
Adquira seu exemplar aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação:



Resenha



No primeiro livro de "Desventuras em Série", conhecemos as crianças e suas tristes vidas. Em A Sala dos Répteis, a principio, as coisas parecem que finalmente vão fluir. Com o final trágico de "Mau Começo", elas acabaram ficando sem tutor e o Sr. Poe teve que arranjar outro adulto para cuidar delas. Essa tarefa acabou ficando para o Montgomery Montgomery, ou apenas tio Monty. Ele é o irmão da mulher do primo do falecido pai dos irmãos Baudelaire.
Tio Monty é um amante de repteis e adora estudar as cobras, tanto é que seu jardim é cheio de esculturas de serpentes e ele próprio possui em casa uma coleção de cobras particular. Em sua última viagem, acabou descobrindo uma especie nova e a batizou de "Víbora Incrivelmente Mortífera", nome irônico para uma cobra extremamente nociva e dócil. Isso porque Monty quer aplicar uma brincadeira na Sociedade Herpetológica que sempre caçoou de seu nome.
"Só Deus sabe o quanto e quantas vezes eles caçoaram de mim por causa do meu nome. 'Alô alô, Montgomery Montgomery', diziam. 'Como vai como vai, Montgomery Montgomery?'
O que tinha tudo para ser um ambiente perigoso, acaba se tornando um lar muito acolhedor, já que o Tio Monty é amável e presta a devida atenção que as crianças merecem. Porém, tio Monty precisará realizar uma viagem ao Peru afim de estudar novas espécies e para isso, ele contará com a ajuda do assistente substituto Stephano, que para as crianças é alguém familiar. A partir de então, o que parecia ser o final feliz dos Baudelaire, finda por ser mais um pesadelo do qual eles não parecem acordar. Caberá mais uma vez às crianças arranjar uma forma de desmascarar esse impostor e impedir que novas tragedias aconteçam.

Ao iniciar a leitura de "A Sala dos Répteis" e o Lemonu Snicket começar a comentar sobre da nova moradia que Violet, Klaus e Sunny iriam, pareceu que finalmente eles teriam um final feliz. Isso porque, Tio Monty parecia um adulto sensato, que apesar da obsessão com as cobras, saberia bem como cuidar delas. Mas nem tudo são flores nesses livros e logo as desgraças chegaram.

O que continua irritando na obra é a descrença dos adultos em relação as crianças. Eles estão mais preocupados em dizê-las como devem se comportar do que com o que elas têm a dizer. O Sr. Poe exemplifica bem isso porque é o adulto com o qual os Baudelaire passam mais tempo e sabe das desavenças que elas passam. 

Mais uma vez, os irmãos provaram sua inteligência e conseguiram se programar a tempo para provar que estavam certos e que o crime que aparentava ser acidental, tinha mais a ser descoberto do que estava explicito.

"A Sala dos Répteis" foi uma excelente leitura, muito prazerosa e que continua a encantar com sua forma diferente de narrar os acontecimentos, com esse narrador peculiar que parece mais ser personagem interno da série. As explicações de termos e expressões continua sendo uma sacada genial. Para quem gosta de uma aventura divertida, apesar da tristeza, vai gostar dessa obra.

E você, o que achou de "A Sala dos Répteis"?

Até logo,
Pedro Silva


   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!