Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
0

Resenha #203: Six Of Crows, Sangue e Mentiras - Leigh Bardugo

Título: Sangue e Mentiras
Série: Six of Crows #1
Autor:  Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Edição: 1
Tradutor: Eric Novello
ISBN: 9788582353820
Gênero: Ficção 
Ano: 2016
Páginas: 376
Adquira seu exemplar Aqui!
Adicione esse livro ao Skoob.

Avaliação: 


Resenha 


Eu posso dizer com todas as letras: MELHOR LEITURA DO ANO, sem medo que outro livro o supere. Eu sei que virão leituras ótimas. Eu sei que ainda tem muita coisa para acontecer, mas o sentimento, a experiência e toda a agonia que presenciei lendo "Six Of Crows" não possuem qualquer comparação. Um livro repleto de violência, jogos de interesse e uma trama extremamente complexa, digna de seus personagens mais complexos ainda, o primeiro volume dessa duologia é sufocante, e ao meu ver, instigante. Conheça mais de um universo tão fascinantes, guiado por uma escrita maravilhosamente viciante.

A trama se passa em Ketterdam, capital de Kerch, um país a oeste de onde acompanhamos a trilogia "Grisha". Lá o mercado portuário é controlado pelas gangues e contrabandistas, em uma verdadeira terra sem lei. E é nesse buraco sem escapatória que Kaz Brekker sempre se sentiu em casa. Depois de tudo que viveu durante sua infância, ansiando o dia em que daria a volta por cima e mostraria quem realmente manda, essa oportunidade parece finalmente ter chegado. Em uma empreitada complicada, Kaz é convocado para uma perigosa missão considerada totalmente impossível. Ele precisa invadir a prisão de maior segurança de um reino extremamente rígido que capturou um famoso cientista que pode conseguir não só afetar todas as tabelas no meio mercatório, mas modificá-las para sempre. Para tal façanha, o rapaz precisará de uma equipe, formada pelos melhores dos melhores. Mas conviver com tantos pontos diferentes de pensamentos, pode trazer não só a ruína de Kaz, como o fim de seu sonho. Seriam eles capazes de realizarem a missão? Kaz Brekker, a quem todos chamam de Mão Sujas, está realmente preparado para o serviço?

Em "Six Of Crows" lidamos não só com a inteligência dos personagens, mas também com a perspicácia do leitor que a todo instante está fazendo inferências ou acusações, em um enredo que envolve um jogo novo de poder a cada página lida. Leigh Bardugo foi espetacular, originando protagonistas marcantes, romances conviventes e uma trama extremamente maravilhosa e inesquecível. Se estava com medo de se aventurar, não sabe o que está perdendo.

Narrado em terceira pessoa, o livro vem separado em seis partes, sendo cada capítulo narrado por um personagem. Essa amplitude dá todo um diferencial para a obra. Aqui iremos conhecer o íntimo de cada personagem e ainda participar de todo o campo de ação, sem deixar de perder um só detalhe. A autora, Bardugo, foi extremamente envolvente. Sua escrita se mostrou muito mais madura, segura de si, e presenteou o leitor com momentos asfixiantes de pura paixão durante a leitura de um livro tão magnificamente estruturado. Bem separado e impecável, "Six Of Crows" pode ser esquematizado em três diferentes momentos, sendo o inicio, obviamente a apresentação dos personagens e seu aprofundamento na trama; o segundo, a apresentação da problemática geral; terceiro conclusão. O mais interessante, é que com poucas páginas lidas, você já se vê totalmente envolvido pelo enredo e por seus narradores. São pouquíssimas palavras, mais que suficientes para transformarem Kaz, Inej, Nina, Mathias, Jesper e Wylan no grupo mais amado que você já possa ter conhecido. E mesmo que o personagem Wylan não narre capítulos sobre si (acredito que a autora teve motivos para isso e esse ponto deve ser explorado no segundo volume), ele não se torna menos apaixonante.

E o mais interessante, ninguém aqui é heroico ou bonzinho. Não espere por isso. A história é um verdadeiro jogo de interesses do começo ao fim, então não aguarde bons hábitos desses personagens, que podem ser vistos em certos momentos como vilões, devido a vida torta e perigosa que todos levam. Além disso, a trama ainda conta com palavras de baixo escalão, o que torna a leitura da obra totalmente não indicada para leitores mais juvenis ou que não gostem de palavrões. Apesar de não ter muito, vira e mexe eles aparecem, e eu pessoalmente gostei também, pelo menos neste contexto. Deu mais realidade a vida e a linguagem vulgar utilizada pelas gangues. Entretanto, é justamente trabalhando esses antiheróis, seja pela irônica e inteligência de Kaz, ao humor negro e divertido de Jesper, a todo instante somos bombardeado pela curiosidade iminente do que está para acontecer, e são surpresas atrás de surpresas. A autora não subestima o leitor e a trama te prende completamente, de forma, que eu pessoalmente, acho impossível não dá continuidade a leitura.

Eu diria que os personagens são a cereja do bolo. O aprofundamento psicológico e verídico que todos ganham é apenas o começo de tudo isso. É importante ressaltar a interligação dos personagens, seja internamente entre eles, ou externamente. E é ai que nasci o foco secundário da trama, envolvendo os casais. Bardugo, diferentemente da trilogia "Grisha", não quis focar em romance. A central aqui é realmente a missão desses personagens e o objetivo final de atingir seus desejos e realizar suas ambições. Mas ainda temos espaço para tal temática, seja na relação conturbada que acontece entre Mathias e Nina, seja pelos muros que são levantados entre Inej e Kaz. Bardugo explora das mais variadas temáticas nesse jogo inteligente de palavras, dando um foco também a homoafetividade, tema tão recorrente (e maravilhosamente trabalhado por ela aqui) nos livros YA atuais. Seus personagens são uma complexidade só. Qualquer detalhe que escape a sua visão pode ser fatal, e isso não deve ser tomado como algo negativo. Em 46 capítulos, eu não julguei um só instante que não fosse necessário falar sobre o que o capítulo em especial fala. Nada é desnecessário, e pra mim, "Six Of Crows" poderia ser um livro solo, embora o plot final seja MATADOR. A continuação das aventuras de Kaz e o desfecho de sua empreitada acontecem no volume seguinte, "Crooked Kingdom", onde nossas respostas serão dadas.
Muito mais sutil, inteligente e elegante (e isso não descreve nem metade do que esse livro foi pra mim), a autora aposta em algo diferente da trilogia "Grisha", e embora o livro se passe no mesmo universo, a amplitude e a temática trabalhadas aqui é extremamente diferente do que vemos na história da personagem Alina (tem resenha dos três volumes aqui no blog: "Sombra e Ossos", "Sol e Tormenta" e "Ruína e Ascensão"). Até a tonalidade do enredo é mais sombrio, violento, de forma que terão cenas que devem revirar seu estômago.

Ao fim, o que ficou claro é, "Six Of Crows" foi tudo o que eu esperava e mais um pouco. Um ano esperando por esse livro e não me arrependo de cada segundo de espera. Bardugo me presenteou com uma leitura repleta de sentimentos, adrenalina e angustia, fatores que somatizo como algo realmente positivo. Tendo uma edição linda (apesar da edição americana me encantar muito mais), a Editora Gutenberg me fisgou mais uma vez, com o cuidado com a obra e atenção aos fãs da autora que não viam a hora de saborear essa leitura. E que venha "Crooked Kingdom", porque ansiedade é só o que resta depois dessa leitura devastadora.


Até logo,
David Andrade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!