Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
2

Semana Especial Toda Luz Que Não Podemos Ver: Trechos Selecionados

Olá, leitores.

Na semana especial Toda Luz Que Não Podemos Ver, não poderia faltar quotes do prêmio Pulitzer 2015 de ficção. Então, reuni aqui os trechos que mais me causaram efeitos durante a leitura. Frases pequenas, outras grandes, mas que juntas nos dão uma ideia da grandiosidade desta obra. 

Não esqueça de deixar seu comentário, e claro, espero que goste.


Página 7

Página 35
“Abram os olhos”, conclui o homem, “e vejam o máximo que puderem antes que eles se fechem para sempre”, e então entra um piano, toca uma música solitária que soa a Werner como um barco dourado viajando por um rio escuro, uma progressão de harmonias que transfigura Zollverein: as casas transformadas em brumas; as minas, preenchidas; asgrandes chaminés, demolidas; um mar ancestral transbordando nas ruas, e o ar fluindo com possibilidades. — Pag.: 56
— Sabe a maior lição da história? A história é aquilo que os vitoriosos determinam. Eis a lição. Seja qual for o vencedor, ele é quem decide a história. Agimos em nosso próprio interesse. Claro que sim. Me dê o nome de uma pessoa ou de um país que não faça isso. O truque é perceber onde estão os seus interesses. — Pag. 89
Pag.: 213

Para Werner, as dúvidas surgem regularmente. Pureza racial, pureza política — Bastian fala com horror de qualquer tipo de corrupção. No entanto, medita Werner na calada da noite, a vida não é uma espécie de corrupção? Uma criança nasce, e o mundo se apossa dela. Arrancando coisas dela, alojando coisas nela. Cada porção de comida, cada partícula de luz entrando no olho — o corpo nunca pode ser puro. Mas é nisso que o comandante insiste, o motivo pelo qual o Reich mede o nariz de cada um deles, avalia a cor dos seus cabelos.  “A entropia de um sistema fechado nunca diminui.”  — Pag.: 280
Pagina 294
A fachada de um prédio majestoso se ergue graciosamente, com suas pilastras e ameias. Alas imponentes assomam nos dois lados, de algum modo com uma aparência ao mesmo tempo leve e pesada. Werner fica impressionado ao perceber exatamente naquele momento como é extraordinariamente frívolo construir prédios esplêndidos, compor música, cantar canções, imprimir livros colossais repletos de pássaros coloridos diante da indiferença sísmica e controladora do mundo — quanta pretensão têm os seres humanos! Por que alguém vai se dar ao luxo de compor uma música se o silêncio e o vento são tão mais amplos? Por que alguém vai acender as luzes se as trevas vão inevitavelmente apagá-las? Se os prisioneiros russos são acorrentados a cercas, em grupos de três ou quatro, enquanto os soldados alemães enfiam granadas destravadas em seus bolsos e fogem? — Pag. 366
— Você é muito corajosa — diz ele.
Ela abaixa o balde.
— Como você se chama?
Ele responde.
— Quando perdi a visão, Werner — continua ela — as pessoas disseram que eu era corajosa. Quando meu pai foi embora, as pessoas disseram que eu era corajosa. Mas não era coragem; eu não tinha escolha. Acordo todos os dias e vivo minha vida. Você não faz a mesma coisa?
— Não vivo minha própria vida há muitos anos. Mas hoje. Talvez hoje eu tenha vivido. — Pag.469

Até Logo!

2 comentários:

  1. Sabe a maior lição da história? A história é aquilo que os vitoriosos determinam. Eis a lição. Seja qual for o vencedor, ele é quem decide a história. Agimos em nosso próprio interesse. Claro que sim. Me dê o nome de uma pessoa ou de um país que não faça isso. O truque é perceber onde estão os seus interesses.
    Essa é uma das melhores frases do livro <3
    Estou adorando esta semana dedicada a este livro maravilhoso.
    Abraços!
    http://leit0res.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Quantos trechos lindos!! Eu quero tanto esse livro... Mas principalmente depois dessa primeira foto
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!