Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
1

Resenha #98: Evoluir é simples, nós é que complicamos - Manolo Quesada

 
Lido em: Julho de 2015
Título: Evoluir é simples, nós é que complicamos
Autora: Manolo Quesada
Editora: Petit
Gênero: Não-ficcional
Ano: 2015
Páginas: 184


Adicione esse livro ao Skoob

  Avaliação:    
     



Resenha:

Quem me conhece sabe que não sou uma pessoa que é muito ligada em religião. Entretanto, sempre tive uma certa curiosidade com relação ao espiritismo. Nunca havia tido chance de ter uma experiência com essa doutrina... até mês passado. A Editora Petit, com todo o seu charme, me cedeu um exemplar de "Evoluir é simples, nós é que complicamos", do autor Manolo Quesada, livro que será resenhado agora!

Sabe quando você está louco para ler uma obra, para conhecer um pouco mais sobre o mundo que ela aborda, e de repente você a tem em mãos? Essa foi a sensação que tive quando peguei pela primeira vez o meu exemplar. Assim que ele chegou na minha casa, comecei a lê-lo. De cara, fiquei encantado com a escrita fluida do Quesada, bem como sua forma simples e até mesmo didática de mostrar ao leitor alguns conceitos básicos do espiritismo.

"Em teoria, sabemos muito do amor, mas o amor não é teoria, é realidade. Quando nos deparamos com isso, vemos que não conhecemos o amor tão a fundo quanto necessitaríamos."



Dissertando sobre os diversos campos da vida, o autor nos mostra que ser uma pessoa melhor é realmente uma escolha diária. Em praticamente todas as páginas do livro, exemplos realistas e que se encaixam no nosso cotidiano são citados, nos dando um verdadeiro "tapa na cara", exibindo o quão mesquinhos e até mesmo hipócritas conseguimos ser. Sendo bem mais simples do que outras religiões, o Espiritismo nos mostra que só uma uma maneira de evoluir: através do amor.

O que mais chamou minha atenção durante a leitura foi o nível de empatia necessário para ser espírita ou ao menos se identificar com os dogmas dessa religião. Claro, sei que há em todas as crenças aqueles seres que 'estragam todo o cesto', mas pude perceber que aqueles que aderem ao estilo de vida espírita são, em sua maioria, pessoas que conseguem entender as dores e lutas diárias do outro. Confesso que foi um pouco difícil me desprender de conceitos do cristianismo durante a leitura, mas de maneira gradativa consegui me libertar e penetrar profundamente naquilo que o livro abordava. Vislumbrei, mesmo que de maneira vaga, tudo aquilo que o autor gostaria de me passar.

"Por que será que não conseguimos compreender que o outro tem tanto direito a ser feliz, à sua maneira, quanto nós?"


Com passagens reflexivas, Manolo nos diz exatamente o que ajuda e o que atrapalha nossa evolução. Sendo sincero, devo admitir que esse livro revolucionou minha maneira de pensar e até mesmo de enxergar o mundo. Comecei a olhar as pessoas de uma forma mais branda, tentando enxergar além daquilo que consigo ver, buscando, ao máximo, me conectar de verdade com as pessoas. Humildade, amor e paciência são coisas que venho, aos poucos, tentando aplicar e multiplicar em minha vida após essa leitura.

Se você se sente pronto para conhecer um Deus diferente daquele que alguns pregam por aí, que mais parece um fiscal e que está ali apenas para "anotar" e "apontar" seus erros para depois te dar uma pena, considere ler esse livro. Entretanto, afirmo que se você ainda não sabe nada sobre o espiritismo, como eu não sabia, busque antes fazer algumas pesquisas. Há algumas passagens que realmente se tornam difíceis de serem interpretadas devido à ignorância acerca do tema, mas nada fora do comum para um iniciante.

Com uma mensagem de amor e conhecimento, Quesada passa ao leitor tudo que queria e ainda um pouco mais. Não preciso nem dizer que recomendo essa obra, não é mesmo? Agradeço a Editora Petit pela chance que me foi dada de poder me aproximar e conhecer um pouco mais sobre esse mundo tão pouco explorado e que até mesmo é discriminado. Lembrem-se, jovens leitores: o que alimenta o preconceito é a ignorância!


Até mais,
Sérgio H.

Um comentário:

  1. Daiany Blanco Rezende27 agosto, 2015

    Amei a sua resenha! Parabéns! É incrível conhecer coisas novas e se identificar com elas. Amo essa religião. E acredite que tem muita coisa a se aprender com ela e sobre ela.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!