Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
16

Resenha #76: Flores de Ruína - Patrick Modiano

Lido em: Maio de 2015
Título: Flores de Ruína
Título original: Fleurs de ruine
Autor: Patrick Modiano
Editora: Record
Gênero: Romance Estrangeiro / Memórias
Ano: 2015
Páginas: 144


Adicione esse livro ao Skoob


Avaliação:  



Resenha:

Neste livro que mistura memórias do autor com elementos fictícios, vamos conhecer alguns núcleos de acontecimentos de acordo com o andar e olhar do narrador pelas ruas da França, à medida que o narrador lembra-se de um fato, ele vai relatando e puxando assunto, assim em uma conversa (leitor-personagem)  onde o foco são as memórias pessoais, como se o narrador quisesse deixar marcado o que aconteceu em sua juventude há muito passada.



São alguns os pontos principais que marcam o enredo. O primeiro é o aparentemente e estranho suicídio de um casal francês, em 1933 apos uma noite de festejos em boates. Em meados de 1964, temos um personagem de personalidade duvidosa e dupla, além de usar vários nomes Philippe de Bellune, Charles Lombard e Pacheco, aparenta esconder segredos e de ter ajudado a oposição durante o nazismo. Entre esses acontecimentos o narrador nos conta sobre a sua fuga de um orfanato, a relação com o pai, sobre a sua namorada Jacqueline e um pouco de sua vida acadêmica.
A narrativa - como podem perceber - é em primeira pessoa, o que dá ainda mais um tom de autobiografia. As paisagens descritas são ricas em descrições, onde podemos ver um amplo panorama da França de acordo com os olhos desse narrador que tem uma memora extremamente boa para recordar de tanto lugares, pontos comerciais e detalhes que às vezes são rapidamente esquecidos por meros mortais.

O livro é o segundo de uma trilogia e tem um desenvolvimento muito confuso, ele não possui capítulos, apenas algumas quebras, o que reforça a ideia de uma memória solta aqui e outra ali, deixando em muitos momentos o leitor perdido, afinal, aparentemente, algumas descrições são desnecessárias à história e que não fazem sentidos. Há também uma falta de conclusão tanto nos pontos principais quanto no livro de forma geral. O narrador, apesar de ter uma memoria boa para recordar de algumas coisas, acaba nos falando apenas do que se lembra, deixando as coisas "apagadas" e incertas.


Flores de Ruína era um livro bem esperado, mas que não conseguiu atingir às expectativas criadas em cima dele. É um livro curto com uma escrita boa e poética, mas o conteúdo não funcionou tanto comigo. Talvez seja realmente necessário ler a Trilogia Essencial (Remissão da Pena, Flores da Ruína e Primavera de Cão) completa para uma maior compreensão ou até mesmo um maior conhecimento da vida do Modiano. De qualquer forma, fica aqui a minha indicação do ganhador do prêmio Nobel de 2014, vale à pena conferir e tomar conhecimento.

Att,
Pedro Silva

16 comentários:

  1. Achei o título e a capa linda, mas confesso que não me empolguei!
    pena que você não se empolgou também =/
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rízia, verdade, a edição está ótima, bem bonita, mas pena que não agradou tanto o andamento do livro.

      Excluir
  2. Hey Pedro!
    Não tive interesse em ler as obras do autor. Eu vi na news anunciando, e lá no blog quem se aventurou com o autor foi a Lena. Ela leu Remissão da Pena e teve a mesma impressão que você D: Ela disse que parecia algo meio incompleto ou como se realmente fosse necessário ler a trilogia, tanto que ela não quis mais tentar os outros. Acabou se decepcionando. Mesmo o autor sendo premiado, não é um tipo de leitura que eu tenha vontade de fazer, então por hora, esse livro eu passo.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena que não tivesse interesse, David. Mas só pelo teu gosto literário eu já sei que não te agradaria. Vejo que não fui o único a desgostar do livro e achá-lo inconclusivo. :/

      Excluir
  3. Olá Pedro,
    2 coisas me chamaram atenção no livro: título criativo e ganhador do premio Nobel, mas nem todo ganhador de prêmio Nobel nos agrada, né?
    Desconhecia o autor e a trilogia e também achei estranho essa questão de não concluir a história por conta das memórias... realmente pode ser algo que tenha que seguir a leitura da trilogia, nunca se sabe.
    Adorei a resenha!
    Grande abraço,
    Victor Rosa
    http://alemdasminhasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas coisas também me chamaram a atenção, Vic e a sinopse que falava de suicídio, mas foi uma pena eu não ter gostado. Espero que contigo funcione.

      Excluir
  4. Não me interessei muito pelo livro, quem sabe mais pra frente.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você não se interessou, Fabrica de Convites. :(

      Excluir
  5. Remissão da Pena é a mesma coisa, parece que esse cara só agradou quem escolhe os ganhadores do Nobel -aqls

    http://escritoseestorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii Pedro!

    Não me interessei muito nesse livro então vou deixar para uma próxima hora :)
    Parabéns pela resenha!

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Pedro, tudo bem?
    Confesso que o tipo de narrativa que você descreveu não me atraiu e depois, ao ver que o livro não funcionou com você, me fez desanimar mesmo. Uma pena.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Pedro!
    A proposta do autor é, de fato, bastante interessante.
    Mas, o que é belo para uns, pode não ser para outros, certo?
    Pelo visto são memórias fragmentadas, como uma espécie de diário recriado.
    Talvez você tenha razão, e quem sabe lendo a trilogia, a compreensão fique mais clara.

    Abração!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Pedro,

    Este é um livro que leria, por trazer informações da França, um país que desejo conhecer (disse que leria, isto se não fosse trilogia, estou fugindo delas, haha). Ainda tem o fato de em alguns momentos o livro ser um tanto confuso e deixar o leitor perdido, infelizmente tudo isto me desmotiva, fora que fica a sensação inconclusa.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Ola Pedro lendo o começo da resenha gostei da forma como ele foi escrito como se fosse uma conversa e o fato de se passar na França me deixou curiosa. Uma pena que o livro não atendeu todas as suas expectativas. abraços

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, estou com a trilogia completa aqui e espero gostar muito, é bem o tipo de leitura que gosto, autobiografias são bem difíceis a leitura, mas quero e espero gostar bastante dessas.

    Espero mesmo que atinja as minhas expectativas que estão lá em cima.


    Ótima resenha, adorei a sinceridade.

    bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá Pedro!
    A sua resenha está perfeita, mas eu não gosto desse tipo de livro. A história não me prende e acho cansativa. Só que pra quem gosta deve ser um livro muito bom.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!