Nos siga no Instagram! TOP 5: coisas para se fazer em um dia de tédio Desventuras em Série #1: Mau Começo - Lemony Snicket Resenha #229: Era dos Extremos - Eric J. Hobsbawm
10

Resenha #39: Crime e Castigo - Fiodór Dostoiévski

Lido em: Outubro de 2014
Título: Crime e Castigo
Autor: Dostoiévski
Editora: Martin Claret
Gênero: Romance
Ano: 2013
Páginas: 553

Adicione esse livro ao Skoob

Avaliação:   




Resenha


Na obra mais celebre de Dostoiévski, Crime e Castigo, encontramos a história de Raskólnikov, um ex-estudante de Direito que abandonou os estudos por viver em extrema pobreza. Angustiado, solitário e passando fome, hora está perambulando pelas ruas de São Pesterburgo ou em seu miserável quarto. E é nesse cubículo que ele planeja matar um agiota para confirmar uma teoria, e assim poder roubá-la. Logo no inicio do livro acompanhamos o momento em que Raskólnikov fica na dúvida se deve ou não cometer o crime, até que se decide e concretiza o assassinato. É à contragosto que Raskólnikov acaba matando também Lizavieta, irmã da agiota que aparece na hora do crime.

A partir desse ponto Raskólnikov passa por um longo processo de “castigo”, mas não necessariamente pela lei, mas sim pelas lembranças do crime, que começam a atormentá-lo, fazendo-o ficar em delírio. Sua situação piora quando sua mãe e irmã chegam à cidade e estranham seu comportamento. Ele conhece o detetive que desconfia que ele seja o autor do crime, e ainda se envolve com uma prostituta a qual confessa seu crime.

Dessa forma Dostoiévski cria a partir desse crime uma narrativa labiríntica que envolve uma série de personagens muito bem construídos, que se entrelaçam entre si e que tem como ponto comum o protagonista. É um livro muito interessante e muito bem escrito, mas pode se tornar enfadonho nas partes em que o autor relata de forma mais detalhista o drama psicológico em qual o Raskólnikov se encontra. É sem dúvida uma leitura mais densa e pesada do que a maioria dos livros, o que fez com que eu demorasse mais tempo para lê-lo... mas depois você se empolga e termina logo.

“Eu até gosto quando eles mentem. A mentira é o único privilegio sobre os outros seres, Vai se mentindo até chegar a verdade. Minto, logo sou um ser humano, Nenhuma verdade poderia ser alcançada sem que antes não se mentisse catorze, até mesmo cento e catorze vezes, o qie representaria mesmo uma espécie de honra.”



Um ponto importante que vale ressaltar é que a escrita do Dostoiévski é primorosa; sim, é cheia de detalhes (que às vezes ele se prolongava em pontos desnecessários), porém os diálogos entre Raskólnikov e o investigador do crime são muito instigantes e inteligentes. O livro nos suga para dentro da estória, a ponto de sofrermos junto com o personagem e virarmos cúmplices dele. Vale ressaltar que a cena do crime é perturbadora, nunca, NUNCA mesmo, uma cena de um assassinato me deixou tão angustiada.

Crime e Castigo é um clássico que recomendo para todos amantes de boa literatura e que gostam de um bom drama psicológico. Simplesmente amei e já pretendo reler!

“tudo está ao alcance do homem e ele deixa isso escapar só por medo(...) de que será que a gente tem mais medo? O que mais receamos é o que nós faz sair dos nossos hábitos”


Sobre o filme: Crime e Castigo conta com algumas adaptações para o cinema, mas o filme que assisti foi de 2002, dirigido por Julian Jarrold. Achei uma boa adaptação, mas que não foi tão fiel ao livro. Não retratou de forma clara o drama psicológico enfrentado pelo protagonista, que é tão presente no livro. Mas por se tratar de uma obra densa, é compreensível que não foi possível captar todos os detalhes no filme. Mas vale a pena assistir.

“Viver pra quê? A que almejar? A que dedicar seus esforços? Viver apenas por viver? Mas inúmeras vezes estivera disposto a dedicar toda a existência a uma idéia, a uma esperança, até uma fantasia. A mera existência não tinha muita importância para ele: sempre quisera mais.”


10 comentários:

  1. Oi Elidiane, tudo bom?!

    Meu melhor amigo é apaixonado por esse livro, mas nunca senti vontade em lê-lo. Acho que já o ouvi comentar TANTAS vezes que não me interessei. HAHAHAHAHA. Parabéns pela resenha! Ficou ótima. É um livro muito bom e fico feliz que tenha gostado e que pretende relê-lo.

    Beijos, Rob

    ResponderExcluir
  2. Olá Elidiane, ultimamente eu estou dando mais chance aos clássicos e esse parece ser muito bom por ter esse drama psicológico tão intenso que chega a perturbar, não assisti nenhuma adaptação do livro, mas se puder vou lê-lo antes para poder fazer essa comparação =)

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  3. Eli, eu li esse livro durante o colegial, meu professor de literatura fez com que eu lesse muito esses livros "pockets" hahaha, lembro que na época demorei um pouco pra processar tudo sabe? O livro é um pouco complexo, não pretendo reler, mas não sabia do filme!

    ResponderExcluir
  4. Oi Elidiane,


    Bom não conhecia o livro e nem o autor, mas já senti vontade de conhecê-lo só pelo titulo do livro, acho lindas essas versões da editora Martin Claret, bom a historia me chamou bastante atenção, ele tem que matar a irmã do cara? Acho que isso foi o que mais pertubou ele, pois ele não tinha planejado! Bom já vai pra listinha!

    Mayla

    ResponderExcluir
  5. ola flor! Então, estou com tanto livro atual para ler que passo longe dos clássicos!rs Mas quem sabe um dia? Mas ainda prefiro deixar meu psicológico longe dos dramas hehe!
    bjus!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Elidiane!
    Eu sou bem avessa aos clássicos devido a vários traumas de escola. Dessa coleção de bolso eu tenho Memórias Póstumas de Brás Cubas, nunca lido. rs
    Não me interessei por esse pelo histórico traumatizante e também pela premissa em si. Prefiro quando tem a busca pelo assassino, não quando o foco é a culpa dele.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  7. OH MEU DEEEEUS!
    Eu amo Dostoiévski! Ele e um gênio e Crime e Castigo é maravilhoso, passei o livro todo condoída pelo Raskólnikov tadinho. Ótima resenha!
    Parabéns, beijos!

    ResponderExcluir
  8. Pena que a adaptação não foi fiel ao livro, mas isso é normal. Fiquei com certo medo dessa cena de assassinato, já que ela te deixou tão angustiada e é tão perturbadora, mas vou superar e ler um dia. Só o fato dos diálogos serem tão intrigantes e inteligentes já faria a leitura valer a pena, mas acho que vou curtir bastante a história.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Elidiane eu não gosto de clássicos.. uma professora de literatura até conseguiu despertar meu interesse para alguns, como Memória póstumas de bras cubas, mas está aqui a maior tempão e ainda não li rsrs
    Pelo que você contou da história eu não ia gostar também. A cena do crime parece assustadora e esse excesso de descrições nunca é bacana.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  10. Oiiiii
    Eu quero muito ler esse livro!
    Gostei muito de saber um pouco mais sobre ele, e saber que você gostou e pretende relê-lo.
    Parabéns pela resenha!

    Beijinhos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário!